Cada vez mais eu venho observando no consultório, nas ruas e na mídia bocas cada vez maiores e desproporcionais à anatomia e proporções faciais.

Há pouco tempo eu observava uma jovem apresentadora de TV, onde por mais que a câmera e ela mesma tentassem desfocar e tirar a atenção, a única coisa que aparecia e era enquadrada era a sua boca.

Em outro programa de TV que enfocava mulheres de 20, 30 e 40 anos, o assunto inevitavelmente caiu sobre cirurgia plástica. Todas já haviam feito alguma plástica, mas a discussão recaiu sobre a boca da de 40 que se encontrava insatisfeita com o resultado de um procedimento que ela havia feito há 10 anos. Ela já havia feito um Lifting (Cirurgia do Rejuvenescimento Facial) que lhe caira muito bem, mas não conseguia se identificar com a imagem de seu rosto, depois do preenchimento dos lábios. Quando perguntada pelas amigas o que ela havia colocado nos lábios, ela não soube precisar o que era.

Não é raro no consultório escutarmos: “Eu não quero ficar com aquela boca de botox”.

Coitado do “Botox”!!!

Seria bom esclarecer aqui a diferença entre “Botox” (toxina botulínica) e os materiais de preenchimento, para desfazer este equívoco.

O “Botox” (toxina botulínica) é uma substância que diluída em pequena quantidade de soro vai ser injetada no paciente, no máximo em 1 ml (um mililitro); sua aparência é cristalina e aquosa e quando injetado funciona como se fosse uma vacina formando pequenas elevações que desaparecem em 15 minutos . O produto  e’ totalmente absorvido pelo músculo na região onde é injetada  não deixando resíduos. Uma vez absorvida pelo músculo, em 5 a 7 dias, irá provocar o seu relaxamento e por consequente diminuir  o efeito das rugas provocadas pela contração desses músculos. Daí ter sua indicação maior nas rugas da testa, entre os supercílios e nos “pés de galinha”. O “Botox” não preenche rugas ou sulcos e não serve para aumentar lábios! Quando é aplicado nos lábios, indicação rara, é para diminuir pequenas rugas lábiais dinâmicas como aquelas provocadas por fumantes.

O efeito é uma pele mais lisa, mas nunca um lábio mais carnudo.

Os materiais de preenchimento, esse sim, como o próprio nome já diz, são substâncias oleosas de coloração variada dependendo do produto, que quando injetados preenchem o local desejado.

São divididos em preenchimento absorvíveis e permanentes. Os absorvíveis duram em média 6 a 8 meses e os mais conhecidos são os de colágeno, hoje pouco usado, e o ácido hialurónico, esse último de maior uso. Como são substâncias caras, de pequeno volume e reabsorvíveis, geralmente são difíceis de causar problemas do tipo “bocão”.

Os preenchimentos permanentes são substâncias mistas que, via de regra, tem uma parte absorvível e outra permanente.Os mais conhecidos no nosso mercado são o Hidrogel(Poliacrilamida) e o Metacril,PMMA(Polimetilmetacrilato).Quando injetados a parte absorvível  vai embora em torno de 3 meses e outra permanente  ali fica por muito tempo, não sabendo  precisar quanto tempo e se ela permanece ali inerte ou migra para outras partes do corpo.

A questão é que, paradoxalmente os permanentes são, via de regra, mais baratos, e podem ser injetados em maior quantidade. Aliado ao fator de não serem absorvidos vocês podem entender o resultado final…

Enfim,

A culpa não é do “Botox”!!!

Dr. Hebert Lamblet

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *