De acordo com o Ministério da Saúde existem 10 passos para ter uma alimentação adequada e saudável:

  1. Procure consumir alimentos in natura (parte de planta ou animal sem alterações. Ex.: carnes, verduras, legumes, frutas) ou minimamente processados (aqueles que receberam alterações mínimas de substâncias durante o processo de produção. Ex.: grãos secos, arroz, feijão, frutas secas, leite pasteurizado, farinha de mandioca, tapioca ou milho, etc.);
  2. Utilize gordura, óleo, sal e açúcar em poucas quantidades para preparar alimentos e criar receitas;
  3. Limite a ingestão de alimentos processados (aqueles que há a inserção de açúcar ou sal durante o processo de fabricação, afim de torná-los atraentes e duráveis. Ex.: milho em conserva, abacaxi em calda, sardinha em lata, carne defumada, queijo, pães com farinha de trigo, etc.);
  4. Evite a ingestão de alimentos ultraprocessados (alimentos que recebem aditivos e são feitos a partir de substâncias extraídas de alimentos. Ex.: biscoitos, salgadinho de milho de pacote, suco em pó de abacaxi, sorvete, salsicha, geleia, sopas, refrigerantes, etc.);
  5. Faça as refeições em ambientes adequados, no tempo ideal e de preferência acompanhado por amigos, parentes ou colegas do trabalho ou escola;
  6. Ao comer fora de casa, procure os locais que servem refeições na hora;
  7. Faça as compras em locais que ofereçam alimentos in natura ou minimamente processados, ou seja, sacolões, supermercados, verdurões, locais que comercializem uma variedade de frutas, verduras e legumes. Quando possível utilize também alimentos orgânicos;
  8. Use o tempo corretamente para dedicar à alimentação. Planeje o cardápio semanal, organize a despensa, faça uma lista para comprar os alimentos e divida as tarefas domésticas com os membros da família;
  9. Aprimore, pratique e compartilhe as habilidades na cozinha, isso auxilia na transmissão de seus conhecimentos para as futuras gerações;
  10. Seja crítico com relação os aconselhamentos, informações e mensagens sobre alimentação em comerciais divulgados pela mídia.

FONTE: www.portalsaude.gov.br

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *